Skip to content

História

No dia 28 de Outubro de 2004, o dia em que fez 40 anos, Walter Scheffrahn registou uma marca comercial que iria ser conhecida por todo o mundo. O seu objectivo, na qualidade de empresário de marcas internacionais e media, era criar um símbolo de uma instituição de beneficência internacional para assistência a crianças. A cor de laranja do Orange Ribbon (Laço Laranja) foi escolhida como um tributo aos símbolos das raízes holandesas, mas também porque reflecte calor, energia, mudança e saúde.
Por ter de se concentrar numa iniciativa de beneficência já existente e operacional, o Walter decidiu adiar as suas actividades para o Orange Ribbon.

walter_sophie.jpeg

No decorrer de 2004, o Walter iniciou e estabeleceu o Pink Ribbon International como um testemunho do apoio à sua irmã Desiree Scheffrahn, que padecera de cancro da mama. Com o website www.pinkribbon.com a oferecer informação sobre questões do cancro da mama desde 1997, o Walter registou, a nível mundial, inúmeros domínios nacionais e marcas registadas para o Pink Ribbon (Laço Cor de Rosa) e introduziu a ideia de uma plataforma global para a consciencialização do cancro da mama e financiamento (Consciencialização, Apoio, Alianças, Alinhamento e Acreditação).

Em 2005 ele discutiu as ideias do Pink Ribbon International com a sua grande amiga e autora Sophie van der Stap, ela própria uma sobrevivente do cancro, e pouco depois disso a Sophie associou-se ao Pink Ribbon International.

No final do ano de 2006, o Walter começou a partilhar com Sophie as suas ideais acerca do Orange Ribbon. Com o conhecimento do Pink Ribbon seria um desafio criar uma plataforma global para a Consciencialização e Financiamento do Cancro Infantil. A eles associou-se alguns meses mais tarde Jurriaan van Dam. O Jurriaan, um amigo íntimo de Sophie e de Walter, era um investigador clínico no departamento de oncologia da Universidade de Leiden. Jurriaan iniciou a ideia de um jogo (CliniGames) para as crianças doentes. Enquanto jogavam o jogo, as crianças podiam aprender a preparar-se para o processo clínico a que iam ser submetidas e assim ficarem mais fortes e sendo capazes de recuperar mais rapidamente. Ele também se empenhou em integrar princípios de cura orientais na medicina convencional ocidental. A Sophie, o Jurriaan e o Walter criaram o Orange Ribbon International.

jur.jpg

No decurso de 2007 a ideia do Orange Ribbon foi elaborada e estruturada ainda mais. Foi criada uma estrutura organizacional e definida a abordagem de mercado. O Orange Ribbon International iria transformar-se numa plataforma internacional, um local de agregação a nível mundial para todas as fundações acreditadas dedicadas ao Cancro Infantil. Maio, o mês dos jovens, iria tornar-se no mês da Consciencialização para o Cancro Infantil. Estudou-se a ideia de projectar holofotes em edifícios proeminentes nas principais cidades espalhadas por todo o mundo durante este mês (Iluminação Laranja). A organização teria embaixadores mundiais, uma revista profissional e uma gala anual de Prémios Orange Ribbon.

No dia 4 de Janeiro de 2008 Jurriaan van Dam morreu vítima de cancro com 29 anos de idade. No seu funeral em Amesterdão, a família e centenas de amigos usaram o Orange Ribbon em apoio às ideias que o Jurriaan defendia. Nesse momento o Orange Ribbon foi dedicado a Jurriaan van Dam sendo um dos três iniciadores do Orange Ribbon International. A namorada de Jurriaan, Marleen Visser, começou nesse mesmo ano a preparar o primeiro número da revista Orange Ribbon.
A Sophie é a embaixadora internacional e porta-voz do Orange Ribbon International.

sfy39587p00